how to make free website
Mobirise

Prefácio

João Manuel Lobo
"Presidente da Câmara Municipal de
Proença-a-Nova"


É gratificantepelo segundo ano consecutivo publicarmos mais um projecto que nasce do constante dinamismo que é proporcionado pelos professores (voluntários) que emprestam do seu tempo e conhecimento a partilha de e para aprendizagens colectivas.
A disciplina da etnografia, partilhada pela professora Maria do Carmo Sequeira, tem criado a oportunidade para cultivarmos as nossas memórias, tanto mais que o universo de alunos que a compõem são a melhor fonte de recolha.
Com o título de "Acordar Memórias", os casamentos dão o mote para recordarmos e viajarmos, olhando para a sua evolução dentro da sociedade no período da primeira metade do século XX. Este período e da leitura no livro que a todos convido, apercebendo-nos que é introduzido como característica comum às noivas a utilização do vestido branco, pouco usual nas primeiras décadas do ´sculo passado, no mundo rural.
A festa proporcionada pelo casamento enquanto momento de alegria e partilha rinha vivências distintas com as condições monetárias das famílias. Contudo, é indistinto a felicidade e a participação colectiva dos familiares e amigos. A transição neste período para um momento solene e de rigor de trajar não fica dissociado do poder da igreja em definir os padrões da própria sociedade.
É importante referir que é também neste tempo que se casa por procuração, condição encontrada para dar resposta à primeira vaga de emigração, sobretudo homens, e dos teatros de guerra que foram vividos. São histórias que muitas delas têm o deesfecho esperado e outras, menos, que nunca se concretizam.
Sendo a nossa realidade rural e exigente, os casamentos foram sempre momentos em que a comunhão de pessoas, familiares e amigos proporcionavam aos mais novos alegria e felicidade para um tempo novo que tinham pela frente, propiciando fermento para o caminho que iriam percorrer juntos.
É pois do fermento de trabalhos como este que a Universidade Sénior de Proença-a-nova precisa para continuadamente se motivar e crescer e ao Município espera-se que vá polvilhando com os apoios necessários à concretização deste projecto que sentimos todos como nosso.
Bem Haja